Quem é mais importante no Reino!?

Publicado: 7 de dezembro de 2013 em Todos

maiornoreino_edit

Naquele momento os discípulos chegaram a Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos céus? “
Mateus 18:1

Um reino do alto, também possui valores e princípios do alto, ou seja, mais elevados e superiores aos nossos (Is.55.9). Aqui na terra com nossas mentes influenciadas pelo ambiente terreno e pecaminoso somos levados a pensar muitas vezes como o mundo pensa, mas o chamado do Senhor é para não tomarmos a forma desse mundo, mas que nos transformemos com a renovação do nosso entendimento, mudando nossa mentalidade para enxergar e pensar como o Senhor.

“E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Romanos: 12. 2.

Deus não pensa como nós pensamos, nem julga como nós julgamos, Ele vê além das aparências(1Sa 16.7). Deus deseja quebrar paradigmas dentro de nós para que possamos conhecer seu Reino e tudo o que ele traz, sua bondade e justiça. Vamos examinar alguns textos que mexem com nossa forma de julgar as coisas.

– A oferta da pobre viúva

Marcos: 12. 41. E sentando-se Jesus defronte do cofre das ofertas, observava como a multidão lançava dinheiro no cofre; e muitos ricos deitavam muito. 42. Vindo, porém, uma pobre viúva, lançou duas pequenas moedas, que valiam meio centavo. 43. E chamando ele os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deu mais do que todos os que deitavam ofertas no cofre; porque todos deram daquilo que lhes sobrava; mas esta, da sua pobreza, deu tudo o que tinha, mesmo todo o seu sustento.

Aqui vemos uma cena, Jesus na porta do tempo olhando as pessoas entregarem suas ofertas e tinham ali muitos ricos, mas quem realmente chamou sua atenção foi uma mulher viúva, pobre, que deu apenas duas moedas, a princípio um valor insignificante, afinal, o que poderia ser comprado com 2 míseras moedas? Será que dava pra pagar a conta de luz do templo? Será que dava pra pegar o almoço do sacerdote, ou a manutenção do templo? Como então ela deu mais do que todos? Todos deram do que lhes sobravam, mas aquela pobre viúva deu tudo o que possuía. Pra Deus e diante de todos os anjos nos céus aquela pobre viúva era mais preciosa do que toda aquela multidão que havia ofertado ali, porque Deus não está interessado no nosso dinheiro, mas na fidelidade e disposição do nosso coração.

– A parábola dos talentos (Mt.25.14-30)

Aqui vemos uma situação semelhante, vemos três servos, a um foi confiado 5 talentos, o outro 2 e o outro 1, cada um segundo a sua CAPACIDADE, nós em nossos julgamentos limitados poderíamos dizer que o servo mais importante aqui é o que possuía 5 talentos, porque nós sempre queremos saber quem é o melhor quem é o mais importante como se estivéssemos em algum tipo de competição, um desejo escondido em nós de ser importante. Mas como Deus classifica essas 3 pessoas? Servos! Coloca eles no mesmo patamar, só existem no reino de Deus o Senhor e o restante são seus servos, o que nos diferencia dentro desse reino é nossa fidelidade e disposição de coração. O Senhor conhece a capacidade de cada um e não nos dará para administramos nada além da nossa capacidade.

Agora observe o que acontece quando o Senhor da parábola volta para seus servos para ver se tinham correspondido com o que ele esperava de cada um deles. Aos que tinham correspondido ele responde: “Muito bem, servo bom e FIEL.” v.21. Preste bem atenção que o Senhor não fica impressionado com a quantidade de talentos que seus servos tinham adquirido, mas os elogia IGUALMENTE, pela fidelidade com que corresponderam a sua vontade. Quanto ao terceiro servo que só possuía 1 talento nem sequer tentou, não se esforçou, é chamado de preguiçoso, mau e inútil (v.26, 30). Mas vamos supor que o que recebeu 1 talento, tenha feito o que o seu Senhor falou de colocar o dinheiro no banco pra pelo menos receber esse talento de volta com juros ou tivesse conseguido mais 1 talento, como o Senhor lhe chamaria? Lhe chamaria de “servo bom e fiel”, seria igualado ao que tinha 2 e o que tinha 5 talentos.

Diante disso te pergunto qual dos 3 servos era mais importante? Então porque nós ficamos olhando para os irmãos que fazem por exemplo evangelismo entre os mendigos mais importante do que o irmãozinho que varre a igreja com todo carinho, ou porque que consideramos o missionário que prega entre os índios mais importante do que a mãe que fica em casa cuidando dos seus filhos com toda a fidelidade ensinado eles a serem homens e mulheres de Deus? Qual dessas pessoas você acha que vai receber um galardão maior? Quem receberá um maior galardão, João Wesley ou sua mãe, Susana Wesley que nunca fez missões e apenas educou os seus filhos nos caminhos de Deus e que ensinou João Wesley a ser um homem de Deus, vindo a se tornar um homem mundialmente reconhecido por causa do Avivamento na Inglaterra? Quem fez mais ou quem foi mais fiel naquilo que foi chamado para fazer? Repito, a questão aqui é a fidelidade e a disposição do coração!

– A parábola dos trabalhadores da vinha (Mt 20.10-16)

Aqui vemos uma situação que envolve recompensa. O Senhor da vinha contratou logo cedo um grupo de trabalhadores e já acertou com eles que iriam receber cada um 1 denário. Passado algumas horas encontrou outros homens mas não disse o quanto eles iriam receber, mas que lhes daria o que fosse justo. Depois de mais alguma horas contratou ainda mais homens. No final do dia, no momento do pagamento, começou a pagar aos que trabalharam menos e deu a eles 1 denario, os que estavam trabalhando desde cedo vendo isso pensaram que iam receber bem mais porque tinham trabalhado bem mais. Pra surpresa deles eles receberam exatamente o que o Senhor da vinha tinha combinado com eles: 1 denário. Então eles reclamaram: “Nós que trabalhamos desde cedo e enfrentamos o sol e a fadiga vamos receber o mesmo que aqueles que trabalharam apenas uma hora?”. Você se sentiria injustiçado? Diminuído? Sentiria que seu trabalho não foi tão importante assim? Fico pensando, se o dono da vinha desse menos para os que trabalharam menos ele não seria injusto, mas então porque ele resolveu dar a mesma quantia? Só encontro uma resposta pra isso, os que chegaram depois tiveram tanta fidelidade e disposição de coração quanto os que trabalhavam desde cedo. Fica óbvio aqui que o dono da vinha não está fazendo as coisas como nós faríamos, mas dando a recompensa a cada um segundo aquilo que o Dono da vinha julga realmente ser importante, não a quantidade de horas trabalhadas, mas a intensidade da fidelidade e disposição do coração.

O Senhor Jesus, o Dono da vinha, não está interessado em resultados, nos tratando como uma empresa que precisa apresentar resultados custe o que custar, fazendo o que tiver que fazer. Mas o Dono da vinha está muito interessado em como estamos fazendo o que Ele pediu pra fazer. Não na quantidade de horas gastas na ceara dele, não na quantidade de coisas que conseguimos fazer “para ele”, e muito menos em quem é o mais importante na obra dele. O reino dos céus é semelhante a um filho que o pai pediu pra ir na padaria comprar alguns pães, mas o filho desejando muito agradar seu pai ao invés de ir a padaria, foi até a garagem lavou o carro do seu pai, deixou brilhando, depois foi até o quintal deu uma geral, aparou grama, jogou o lixo fora, foi até o shopping comprou uma camisa bonita e deu pro seu pai, e seu pai lhe pergunta, mas cadê o pão?

Muitas vezes queremos tentar agradar a Deus fazendo um monte de coisas, quando na verdade Ele não deseja que façamos uma monte de coisas, mas deseja que obedeçamos a Ele mesmo que Ele tenha pedido pra apenas irmos comprar pão, Ele deseja que façamos isso com toda a nossa fidelidade. O que temos dificuldade pra entender é que o Pai nos chamou não pra trabalharmos pra Ele, mas pra nos ensinar, e até quando Ele nos manda fazer algo Ele está sempre nos ensinando o que o Reino dEle realmente é.

– O ladrão da cruz

Tem um homem que já nos 45 do segundo tempo reconheceu o Messias e recebeu uma grande promessa, de poder estar com Cristo no seu reino, o ladrão da cruz, mas fico pensando, ele vai ter algum galardão? Afinal o que ele fez pro Senhor? Acredito que a eternidade é um lugar de muitas surpresas onde o primeiro será o último e o último será o primeiro, onde o considerado pequeno nesse mundo será considerado grande no reino de Deus, pessoas que aparentemente não “fizeram nada” recebendo um galardão muito maior que o nosso. Fico pensando, e se o ladrão da cruz tivesse sobrevivido e pudesse sair dali? Talvez ele seria um pregador ainda maior que o Apóstolo Pedro e o Apóstolo Paulo, afinal ele conheceu a cruz no próprio corpo e encontrou com o Messias. Como estava a fidelidade e disposição do coração dele após receber aquela maravilhosa promessa de Cristo? Ainda na cruz ele pregou para o outro que também estava crucificado. Será que o galardão dele será como o meu ou quem sabe até maior? Quanto a cada um de nós não importa saber o tamanho do galardão dos nossos irmãos, o que nos importa é fazer a vontade do Senhor da vinha com toda fidelidade e disposição de coração.

Minha pergunta para você é: Você realmente está fazendo o que o Senhor te pediu pra fazer? Isso que você está fazendo agora, seja como pastor, evangelista, seja como líder de jovens ou tudo isso junto e mais um pouco? Deus não quer que você abrace o mundo e faça tudo, se ele te deu 10 talentos, você está usando esses 10 talentos com fidelidade? Mas se ele te deu 1 talento, você está usando esse 1 talento com fidelidade? Quem sabe não é hora de rever?

“…que cada um seja encontrado fiel.”
1 Coríntios 4:2

No amor de Cristo,
Jades Rogério

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s